25 de maio de 2012 | Em Forma

Gordura abdominal: inimiga do espelho e da saúde!

Saiba quais são os riscos de manter uma “barriguinha” avantajada

barriga

Foto: Corbis

Furos a mais no cinto não são apenas sinais de um grande problema estético. Além do incomodo no espelho, a gordura abdominal é, acima de tudo, questão de saúde. Acumulada no abdome e próxima a locais importantes como o fígado, rins e coração, ela pode sobrecarregar estes órgãos tão importantes para o bom funcionamento do corpo humano.

Descobrir se aquela “barriguinha de chopp” é perigosa, é fácil: basta medir a circunferência do abdome. Atenção homens com mais de 94 centímetros de circunferência e mulheres acima de 80 centímetros. O risco de desenvolver doenças cardiovasculares é aumentado quando se apresenta essas medidas. Além de prejudicar o coração, a gordura abdominal é responsável por problemas hepáticos.

“A obesidade por si só acontece por fatores genéticos e ambientais, como sedentarismo, dieta errada ou hipercalórica. Para a gordura ser acumulada especificamente em abdome a questão é simplesmente genética, não é nada que alguém fez ou comeu que levou a isto. Ou seja, quem engorda é pelo mesmo motivo; mas quando se engorda, um ganha mais barriga que o outro por questão genética”, explica o médico endocrinologista Dr. Dilermando Brito.

De acordo com o especialista, a gordura abdominal pode acometer todas as faixas etárias, incluindo as crianças. Em adultos o risco é maior, pois existe a possibilidade da existência de outros problemas concomitantes, como diabetes, hipertensão e problemas cardíacos, somando-se os riscos. A atenção com o tamanho da barriga deve ser redobrada após os 30 anos. “Os cuidados são os mesmos de qualquer paciente com obesidade: dieta balanceada e equilibrada sem calorias em excesso, atividade física regular e acompanhamento médico e nutricional. Exercício abdominal fortalece a musculatura, mas não elimina em nada a gordura abdominal”, detalha.

Apesar de ser mais comum em homens, o Dr. Dilermando Brito conta que a gordura abdominal não é exclusiva do sexo masculino. “A mulher costuma ganhar mais quadril e coxas (forma de pera) e homem mais barriga (forma de maçã)”. O médico alerta sobre o uso de chás e cremes que prometem eliminar a gordura indesejada. “Nunca e sob hipótese alguma devem ser usados no tratamento, pois ou não resolvem ou podem ter risco. Se existisse milagre ninguém estaria com 1 kg acima do peso ideal. O médico é o único profissional habilitado para prescrever medicamentos e tratamentos nos casos de gordura abdominal e suas consequências”, completa o especialista.

Leia mais em: ,
Comente!

  •  

Confira
Newsletter

Cadastre-se abaixo e receba os artigos do site em seu e-mail!

Últimas atualizações
Quem Somos | Fale Conosco | Política de Privacidade | Criação de sites
Copyright © 2010 Vida e Equilíbrio. Todos os direitos reservados. 2nd