5 de julho de 2010 | Destaque, Saúde

Saúde, antienvelhecimento e beleza caminham juntos

Você ainda pensa que baixar drasticamente os níveis de colesterol é bom para sua saúde? Tem receio de fazer modulação hormonal? Tem medo de se expor adequadamente ao sol?

felicidade

Foto: SXC

Existe um momento na vida de todo mundo em que o passar dos anos começa a surtir efeito. Todos nós, homens ou mulheres, ainda iremos apresentar sinais clínicos do envelhecimento orgânico. As mulheres sofrem com o climatério (período que sucede a menopausa, a última menstruação) e chega junto com efeitos bastante desagradáveis, tais como alguns quilos a mais, sensação de desconforto, calor intenso, alterações importantes na intensidade e qualidade do desejo sexual, depressão e outros.

Para controlar os níveis hormonais no organismo e retardar o envelhecimento de uma maneira saudável e segura, já existe a possibilidade de repor os hormônios que faltam no organismo através dos hormônios bioidênticos. Afinal, nossos hormônios não diminuem porque envelhecemos, e sim envelhecemos porque os hormônios diminuem.

Hormônios Bioidênticos possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos pelo nosso organismo, apesar de serem fabricados em laboratório. O termo bioidêntico é utilizado para formulações hormonais as mais diversas, como: estriol, estradiol, progesterona, testosterona, melatonina, tiroxina, hormônio do crescimento humano e outros tantos. Não se trata de cópias, eles são idênticos e, por isso, não produzem efeitos colaterais. Essa manipulação idêntica foi tão importante à comunidade científica que rendeu ao cientista dos Estados Unidos Louis Ignarro o Prêmio Nobel de Medicina em 1998.

De acordo com o cirurgião plástico Naif Thadeu o paciente deve sempre prevenir e realizar exames para saber quais hormônios estão fora dos parâmetros ideais no organismo. O diagnóstico deve ser completo, devendo o paciente responder a um questionário sobre o nível de atividade intelectual, física e sexual, alimentação, se possui insônia, astenia, desânimo entre outras perguntas. Além disso, os parâmetros de normalidade da maioria dos exames que solicitamos, já foram todos modificados e reestudados há mais de 5 anos, o que de pouco adiantou pois nos laudos expedidos pela grande maioria dos laboratórios brasileiros, ainda constam valores há muito abandonados. Isso dá uma ilusão de normalidade e dificulta o tratamento por profissionais menos engajados com os últimos avanços da medicina mundial. “Baseado nesse questionário é traçado o perfil do paciente e realizado o exame de saliva, em que são colhidas três amostras do paciente em horários diferentes, para checar as oscilações hormonais e seu ritmo circadiano. Esse procedimento é confiável já que os hormônios presentes na saliva estão livres, enquanto os dosados no sangue estão ligados às proteínas. Depois dessa análise é realizada uma modulação hormonal bioidêntica para promover um equilíbrio de todos os hormônios tanto os que estão aumentados, como alguns hormônios ligados ao envelhecimento, quanto para os que estiverem diminuídos, como hormônios que estão ligados a jovialidade, atividade sexual, física e mental.

O cirurgião plástico Naif Thadeu alerta que existe erradamente na medicina mundial a tendência de “acabar” com o colesterol das pessoas. Os médicos em geral ainda pensam que quanto mais baixo o colesterol humano melhor seria para a saúde. É por causa de conceitos e informações completamente ultrapassados, que muitos jovens não estão produzindo hormônios, inclusive os sexuais. É por esse motivo que vem aumentando drasticamente a quantidade de mulheres buscando recursos fora da normalidade para engravidarem. “Essa carência e falta de possibilidade de viver plenamente vem aumentando porque os jovens têm seu colesterol reduzido drasticamente, tornando-se insuficiente para produzir os hormônios sexuais. A base de todos os hormônios é o colesterol e a pregnenolona. O colesterol se transforma em pregnenolona que origina a maioria dos nossos hormônios, sem isso não é possível ter níveis hormonais equilibrados e compatíveis com uma vida plena. Essa falta de hormônios também contribui para o aumento dos casos de tumores malígnos”, afirma o cirurgião plástico.

Outro grande erro está no incentivo que recebemos para fugir do sol. Isso vem se tornando uma obsessão para muitas especialidades médicas que esquecem os benefícios de uma exposição adequada e individualizada ao sol, de acordo com o tipo e a cor da pele de cada indivíduo. Essa fobia ao sol é a responsável pela redução dos níveis de vitamina D3 na população mundial. A vitamina D3 é considerada um hormônio devido apresentar receptores específicos no corpo humano, e ainda responsável pela fixação do cálcio e fósforo, melhorando a resistência do sistema músculo esquelético, funcionamento cerebral e efeito anti-tumor. Ainda falando de sol, podemos afirmar que uma grande parte dos bloqueadores solares que são usados desnecessariamente produz um aumento de xenoestrógenos, responsáveis por diversos efeitos deletérios, inclusive obesidade.

Preparações manipuladas de hormônios bioidênticos oferecem vantagens indiscutíveis quando se compara com preparações hormonais não bioidênticas. Larga margem de variação nas dosagens, uso de veículos excipientes especiais como o gel de alta penetração cutânea, concentração e composição individualizadas, permitem que se atinja o objetivo terapêutico de uma forma mais rápida, fisiológica e específica, respeitando as necessidades individuais de cada pessoa, elementos que asseguram maior tolerabilidade, menor incidência de efeitos adversos e maior eficácia terapêutica. Assim como vai demorar muito tempo para que se entenda que não podemos ter colesterol baixo, vai demorar mais ainda para que seja conhecida realmente a diferença entre substâncias bioidênticas e não bioidênticas. Ainda se pensa que mulheres que não tem mais útero não precisariam de progesterona, e que esta, juntamente com a testosterona seriam cancerígenas… Ora, os hormônios não bioidênticos causam câncer mesmo, porém os bioidênticos nos protegem contra esses tumores.

BENEFÍCIOS DOS HORMÔNIOS BIOIDÊNTICOS

1 – São hormônios, como o próprio nome diz, idênticos aos hormônios que a natureza produz em nosso corpo. São substâncias que possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios naturalmente produzidos no corpo humano. O termo “bioidêntico” é utilizado para preparações que contêm hormônios, tais quais: estradiol, estriol, dehidroepiandrosterona, pregnenolona, progesterona, testosterona, melatonina, tiroxina, triiodotireonina e o hormônio do crescimento humano. Não são cópias são idênticos, por isso não produzem efeitos colaterais.

2 – Por serem idênticos aos produzidos pelo nosso organismo, os receptores do nosso corpo captam 100% os hormônios bioidênticos. O que não acontece com os hormônios não bioidênticos.

3 – Assim como acontece com os hormônios que nosso próprio organismo produz, os hormônios bioidênticos se renovam naturalmente a cada 24h, no nosso organismo. Não ficam paralisados no nosso corpo. Os hormônios não bioidênticos permanecem até 180 dias no nosso organismo. Já pensou algo que você come ficar até 180 dias dentro do seu corpo? Vira toxina, claro!

4 – Nosso corpo é programado para funcionar plenamente até os 30 anos, após isso começam as quedas (pausas) hormonais. Os hormônios bioidênticos vêm para corrigir essas pausas, amenizam os efeitos da velhice – a pessoa fica com mais energia, corrigindo sinais de envelhecimento e recuperando a beleza e o viço da pele, próprios de pessoas jovens – proporcionam equilíbrio emocional, pois os hormônios estão todos equilibrados, inclusive uns em relação aos outros.

5 – Nenhum médico recebe propagandista de laboratório falando de hormônios bioidêntidos… Os cursos superiores da área da Saúde ainda não estão disponibilizando essas informações aos seus alunos, mesmo depois de 10 anos dessa descoberta ter rendido um Prêmio Nobel de Medicina, por muitos anos os médicos vão confundir hormônios bioidênticos com os que vêm sendo administrados por todos esses anos, e por isso continuarão pensando que hormônios não poderiam ser usados em pacientes com câncer…

Uma informação curiosa: os hormônios bioidêntidos não podem ser patenteados porque são exatamente iguais aos do nosso organismo, ou seja, os hormônios bioidênticos não têm nenhum investimento de marketing, e ninguém tem interesse comercial em divulgá-los.

Leia mais em: ,
Comente!

  •  

Confira
Newsletter

Cadastre-se abaixo e receba os artigos do site em seu e-mail!

Últimas atualizações
Quem Somos | Fale Conosco | Política de Privacidade | Criação de sites
Copyright © 2010 Vida e Equilíbrio. Todos os direitos reservados. 2nd