5 de agosto de 2010 | Saúde

Calvície feminina

As mulheres também podem sofrer com a calvície da mesma forma que os homens. Especialista aponta que a maioria das pacientes não percebem o problema logo no início

Encontrar com um homem careca passeando pela rua pode ser normal. Mas pouca gente sabe que a alopecia, redução parcial ou total de pelos ou cabelos, também é um problema que afeta as mulheres. Pesquisas comprovam que 25% das mulheres entre 25 e 40 anos e 50% das mulheres acima dos 40 anos apresentam algum grau de calvície.

A dermatologista Adriana Cristina Caldas, especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e colaboradora da equipe de Dermatologia do Hospital de Base de Rio Preto, afirma que a maioria das pacientes não percebe a queda dos fios. “Não é comum encontrarmos uma área totalmente calva ou entradas, como nos homens. Nas mulheres, os fios ficam mais ralos, principalmente depois da linha frontal, próximo ao meio da cabeça. Porém, se não for feito um tratamento adequado, essa alopecia pode evoluir trazendo efeitos estéticos indesejáveis para a mulher.

A queda de cabelo nas mulheres é causada por inúmeros fatores, como anemia por deficiência de ferro, dieta alimentar restritiva, doenças da tireóide, início ou interrupção do uso de anticoncepcionais orais, período pós-parto, uso de alguns medicamentos, pós cirúrgicos ou pós estresses.

Mas a calvície feminina ocorre devido a conversão da testosterona (hormônio masculino que também circula nas mulheres, porém em uma quantidade menor) para DHT (D-hidrotestosterona) que causa o enfraquecimento e a queda dos fios. E, como na calvície masculina, também há o componente hereditário, se a mulher tem alguém na família com calvície a chance dela desenvolver esse tipo de queda de cabelos também é grande.

A queda dos cabelos das mulheres também pode ser causada por trauma. Este problema geralmente atinge mulheres que realizam tratamentos químicos, como por exemplo, alisamentos, rastafáris ou penteados que tracionam muito o cabelo. Os apliques também podem causar a queda excessiva do cabelo. “O aplique fio a fio, aquele onde a prótese capilar é colada em várias mechas, é o mais perigoso, principalmente na hora de tirar, quando os fios podem ser arrancados pela raiz”, diz.

Tratamento

O tratamento clínico consiste no uso contínuo de loções capilares, cápsulas de vitaminas específicas, medicamentos anti-hormônios masculinos (quando necessário), shampoo fortificante. O tratamento começa a apresentar resultado após um período mínimo de 6 a 8 meses. Em alguns casos, o implante capilar também pode ser indicado.

Leia mais em: ,
Comente!

  •  

Confira
Newsletter

Cadastre-se abaixo e receba os artigos do site em seu e-mail!

Últimas atualizações
Quem Somos | Fale Conosco | Política de Privacidade | Criação de sites
Copyright © 2010 Vida e Equilíbrio. Todos os direitos reservados. 2nd